Dois rapazes e uma rapariga menores foram detidos pela suspeita de dezassete roubos, com arma branca, a estudantes nas zonas da Cidade Universitária e do Campo Grande, em Lisboa, anunciou este sábado a PSP, segundo a agência Lusa.

Os jovens, com idades entre os 14 e os 16 anos, pertencem a um grupo de quatro indivíduos que actuava naquelas zonas e que provocou um «enorme sentimento de insegurança naquela área e essencialmente na comunidade estudantil», adianta a PSP em comunicado.

As vítimas eram estudantes que os jovens abordavam em locais mais isolados ameaçando-os com uma faca. Agarrados de uma forma violenta para impedir que resistissem, os jovens eram depois despojados dos seus haveres.

Apesar de haver poucas denúncias formalizadas, «supostamente por comodismo ou descrédito na justiça, esta situação chegou ao conhecimento da PSP», que reforçou a vigilância policial, através de elementos à civil, para interceptar os autores destes ilícitos, que acabaram por ser detidos na quinta-feira, adianta a polícia.

Nesse dia, o grupo voltou a atacar três estudantes, mas os elementos policiais que se encontravam à civil a vigiar aqueles estabelecimentos de ensino imediato localizaram e interceptaram os suspeitos, tendo ainda recuperado cinco telemóveis roubados.

Após serem interceptados, surgiram vários estudantes que, ao aperceberem-se da situação, informaram a polícia de que tinham sido vítimas de roubo, mas nunca formalizaram as queixas.

Os suspeitos foram sujeitos a diversas diligências processuais e foram reconhecidos pelas vítimas, tendo-lhes sido imputado pelo menos 17 roubos cometidos entre os dias 06 de Fevereiro e a passada quinta-feira.

«Através das declarações das vítimas ficou demonstrado a agressividade, impunidade, habitualidade e frieza com que os suspeitos actuavam», refere a PSP no comunicado, acrescentando que o quarto elemento do grupo já se encontra devidamente identificado.

De acordo com a PSP, os jovens não exercem qualquer profissão e efectuavam estes assaltos para satisfazer as necessidades diárias, havendo «fortes suspeitas» de que sejam autores de muitos outros ilícitos.

A polícia vai continuar a desenvolver as investigações para confirmar estas suspeitas e tentar recuperar o restante material roubado.

Os dois menores 16 anos foram presentes no Tribunal de Família e Menores de Lisboa e, dada a gravidade dos ilícitos praticados, foram internados em instituições de reinserção social em regime fechado.