O juiz Carlos Alexandre decidiu hoje mandar a julgamento o antigo ministro da Saúde Arlindo de Carvalho, o ex-presidente do BPN Oliveira Costa e mais sete arguidos, por burla qualificada, disse à agência Lusa fonte do Tribunal de Lisboa.

Segundo a mesma fonte, o juiz do Tribunal Central de Investigação Criminal (TCIC) confirmou praticamente na íntegra a acusação que havia sido proferida, com exceção de um dos arguidos, José Monte Verde, ex-presidente da ParqueInvest, imobiliária do grupo Banco Português de Negócios/Sociedade Lusa de Negócios (BPN/SLN), que foi ilibado de um dos crimes de que fora acusado.

Em causa, neste processo, estão os crimes de burla qualificada, abuso de confiança e fraude fiscal qualificada, tendo a informação sobre o despacho de pronúncia sido avançada hoje pelo «Diário de Notícias».

Segundo notícias divulgadas quando da acusação, são arguidos neste processo o antigo ministro da Saúde Arlindo de Carvalho, o antigo presidente do BPN, Oliveira Costa, o ex-administrador do BPN António Coelho Marinho e Luís Caprichoso e Francisco Sanches, ex-administradores do BPN e da SLN, que detinha o banco.

São também arguidos no mesmo processo José Neto, sócio de Arlindo de Carvalho numa imobiliária, e Ricardo Oliveira, ex-acionista do BPN.