Nuno Proença foi constituído arguido no âmbito da Operação Lex na terça-feira, elevando agora para 13 o número de arguidos.

Nuno Proença seria uma das pessoas que disponibilizaria a sua conta bancária para o juiz Rui Rangel esconder o dinheiro que receberia para influencia decisões judiciais.

É suspeito de branqueamento de capitais.

Em relação aos outros arguidos, desde esta manhã que os cinco que foram detidos estão a ser ouvidos no Supremo Tribunal de Justiça. 

Às 19.30, dois dos cinco detidos - o oficial de justiça Otávio Correia e o filho do advogado Santos Martins, Bernardo Santos Martins - já foram ouvidos. Esta quinta-feira ainda será ouvido um terceiro arguido.

Os interrogatórios aos restantes dois detidos continuarão na sexta-feira no Supremo Tribunal de Justiça. 

Esta quinta-feira à tarde soube-se ainda que, apesar de continuar em funções, Rui Rangel não compareceu no Tribunal da Relação por razões pessoais. O juiz desembargador tinha três processos criminais na agenda para esta quinta-feira à tarde.

Também a ainda mulher de Rui Rangel, Fátima Galante, continua em funções. Ambos serão ouvidos na próxima semana, no Supremo Tribunal de Justiça.