A Polícia Judiciária (PJ) anunciou, esta quarta-feira, a detenção de um homem suspeito da autoria de sete crimes de incêndio florestal, ocorridos entre os dias 5 e 15 de julho deste ano, no concelho de Arganil.

Em comunicado, a PJ, através da Diretoria do Centro, revelou que o homem, de 39 anos, é funcionário autárquico.

«O suspeito, agindo num quadro impulsivo e de atração pelo fogo, está fortemente indiciado de, com o auxílio de velas e isqueiro, ter ateado sete focos de incêndio em terrenos povoados essencialmente por mato e pinheiros, tendo ardido, em cada um dos incêndios, áreas que variam entre os 100 e os 25.000 metros quadrados», segundo o comunicado da PJ.

O suspeito tem antecedentes por crimes da mesma natureza e será agora presente às autoridades judiciárias para primeiro interrogatório e aplicação das medidas de coação consideradas adequadas.

A Polícia Judiciária revelou, ainda, já ter identificado e detido este ano 20 suspeitos pela autoria do crime de incêndio florestal.