Maio passado foi o mês mais quente de sempre, desde o início da recolha das temperaturas em 1880, o que mostra que o aquecimento global continua, anunciou hoje uma agência norte-americana.

De acordo com a Agência Oceânica e Atmosférica norte-americana (NOAA, sigla em inglês), a temperatura média à superfície do globo (oceanos e terra) foi, em maio de 2015, 0,87 graus acima da média do século XX para este mês, ou seja, o mais elevado para o período de 1880 a 2015.

O mês de maio passado ultrapassou ligeiramente (0,08 graus) o anterior recorde estabelecido no mesmo mês em 2014, precisou a NOAA.

O mês de maio deste ano foi o "mês mais quente de maio dos anais", declarou Derek Arndt, um cientista da NOAA, numa conferência de imprensa por telefone.


Arndt sublinhou que o período relativo aos cinco primeiros meses de 2015 foi também o mais quente alguma vez registado.

No oceano Ártico, a superfície média de gelo, em maio, foi 5,5% inferior à média do período entre 1880 e 2010.

Em maio, os gelos árticos registaram a terceira mais fraca superfície desde o início das observações por satélite em 1979, de acordo com o Centro da Neve e do Gelo norte-americano, que utiliza dados da NOAA e da administração da aeronaútica e do espaço norte-americana (NASA).

Em contrapartida, na Antártida, a superfície de gelo ficou em mai 12,1% acima da média entre 1981 e 2010. Esta superfície é também a maior para este mês nos anais, ultrapassando o anterior recorde de maio do ano passado.