A PSP destruiu esta quarta-feira 2476 armas, apreendidas em diversas situações, totalizando só este ano um total de 11.199 armas destruídas, de acordo com um comunicado da corporação.

No comunicado, a que a Lusa teve acesso, especifica-se que do total de armas destruídas (600 foram recolhidas nos Açores ) 2198 eram armas de fogo e 278 armas brancas.

Todas tinham sido «previamente declaradas como perdidas a favor do Estado, no âmbito de processos-crime, contra ordenação ou administrativos», e tinham sido apreendidas pela PSP a nível nacional, «em especial em crimes violentos com emprego de armas de fogo».

No lote de armas destruídas estavam ainda, indica a Direção Nacional da PSP, armas que foram voluntariamente entregues ao Estado pelos seus detentores ou por quem as achou.

«Dado o estado de degradação em que se encontravam e a sua inutilidade para a atividade operacional, formativa, cultural, museológica ou outra» foi decidido mandar destruí-las, precisa o comunicado.

O mesmo comunicado acrescenta ainda que esta foi a quarta destruição do género este ano, envolvendo 9943 armas de fogo e 1256 armas brancas.