A GNR anunciou, esta quarta-feira, ter desmantelado uma plataforma de jogo do tipo setas e dardos na Internet que não pagava impostos, tendo constituído arguidas duas pessoas e cinco empresas, numa fraude avaliada em cerca de 15 milhões de euros.

Em comunicado, a GNR indica que a plataforma foi desmantelada durante uma operação da Unidade de Ação Fiscal (UAF), apoiada pelo Destacamento Territorial de Évora, que decorreu, na terça-feira, em todo o país. Na operação, que envolveu cinco buscas domiciliárias e 22 buscas não domiciliárias, ordenadas pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Évora, foram constituídas arguidas duas pessoas, com idades entre os 40 e os 50 anos, e cinco empresas.

Foram ainda apreendidas 71 máquinas de jogo, com o valor total de 182 mil euros, cerca de 12 mil euros em dinheiro e vários dispositivos de armazenamento de dados e documentos contabilísticos e fiscais.

Segundo a GNR, estão em causa suspeitas de exploração de uma plataforma de jogo na Internet sem declaração de rendimentos às finanças, numa fraude que avalia em cerca de 15 milhões de euros. As empresas, explica a Guarda, instalaram em 2.200 locais máquinas de jogo, que, ligadas através de uma plataforma na Internet, permitiam a realização de torneios regionais, nacionais e internacionais de jogos do tipo setas e dardos. 

Os jogadores "eram aliciados por prémios monetários e viagens" de acordo com o seu desempenho, o que motivava o seu treino diário para tentarem "justificar o seu investimento e melhorar os seus resultados", acrescenta a GNR.

Duas toneladas de bivalves apreendidos

A Unidade de Controlo Costeiro da GNR apreendeu, em Aveiro, quase duas toneladas de bivalves, com um valor de cerca de 15 mil euros.

Segundo uma nota da GNR, os bivalves foram apreendidos na terça-feira passada durante uma ação de fiscalização a viaturas de transporte de pescado fresco. No total, foram apreendidos 1.851 quilos de amêijoa japonesa por infração ao Regulamento da Apanha, nomeadamente, por terem sido ultrapassados os limites legais da captura diária.

O proprietário dos bivalves foi identificado pelas autoridades e os bivalves foram devolvidos ao meio natural.