A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) anunciou esta sexta-feira ter apreendido mais de 29 mil garrafas destinadas a Vinho do Porto devido à existência de fragmentos de vidro, consideradas inseguras e perigosas para a saúde.

Em comunicado, a ASAE refere ter «procedido nas últimas semanas, no concelho de Gaia, distrito do Porto, à tomada de medidas no sentido de retirar do circuito comercial» garrafas de vidro destinadas ao engarrafamento de Vinho do Porto.

A existência de fragmentos de vidro nas garrafas foi dada através de uma notificação de alerta emitida pelas autoridades belgas, transmitida pela Comissão Europeia através do «Sistema de Alerta Rápido para os Géneros Alimentícios e Alimentos para Animais» a todos os estados-membros.

A ASAE sublinha terem apreendidas até ao momento cerca de 20.350 garrafas de vidro vazias e 9.000 com vinho, num valor total de cerca de 63 mil euros.

«A situação relatada e objeto de ação de fiscalização não está relacionada com o produto em concreto, mas tão-somente com as garrafas onde o mesmo é embalado», destaca a autoridade.


A ASAE conclui que «dará continuidade no âmbito desta notificação de alerta às diligências consideradas necessárias para garantir a não introdução no mercado de garrafas que coloquem em perigo a saúde pública contribuindo para a defesa do consumidor».