A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) anunciou esta quinta-feira a apreensão de 1.400 quilos de queijo curado, em Oliveira do Hospital, e instaurou um processo-crime à empresa por falsificação de documentos.

O valor do produto, apreendido num entreposto deste concelho do distrito de Coimbra, ronda os 11.400 euros, refere em comunicado a Divisão de Informação Pública da ASAE.

Além da falsificação de documentos, a brigada de fiscalização das indústrias de produtos de origem animal da Unidade Regional do Centro da ASAE detetou "a falta de aposição de marca de identificação obrigatória" nos queijos armazenados para comercialização.

A apreensão ocorreu na sequência de uma ação de fiscalização "com o objetivo de verificar as condições de armazenamento e distribuição de produtos", no âmbito da segurança alimentar nas instalações.

Segundo a nota da ASAE, as investigações permitiram "apurar que o produto existente naquele entreposto era rececionado sem qualquer marca de identificação obrigatória, sendo-lhe posteriormente colocada a marca de identificação" do estabelecimento local.

No seguimento desta investigação foram ainda inspecionados dois estabelecimentos retalhistas na zona Centro do país, onde foi detetado e apreendido produto em exposição para venda com aposição indevida de marca de identificação de produto de origem animal", acrescenta.