A GNR e a Autoridade Tributária e Aduaneira apreenderam cerca de sete milhões de cigarros de contrabando, num valor estimado de 1,575 milhões de euros e detiveram três homens, segundo um comunicado divulgado esta quinta-feira.

De acordo com a nota, o tabaco estava dissimulado num contentor com rolos de fio de polyester que embarcou no porto de Port Klang, na Malásia, tendo chegado ao porto de Lisboa, após transbordo em Roterdão, Holanda.

«As autoridades aduaneiras classificaram a remessa como de risco elevado tendo em conta critérios de análise de risco, pelo que, para o respetivo controlo, foi desencadeada uma operação especial» que culminou na apreensão de 1.432 caixas de tabaco num armazém situado no concelho de Vieira do Minho, distrito de Braga, refere o o comunicado enviado pela secretaria de Estado dos Assuntos Fiscais.

Devido ao «risco elevado» foi desencadeada uma operação especial com elementos da Autoridade Tributária e da GNR, que culminou na apreensão de 1.432 caixas de tabaco num armazém situado no concelho de Vieira do Minho. 

«Esta apreensão, representa um duro golpe no contrabando em Portugal e insere-se no esforço demonstrado nos últimos anos da luta contra a fraude aduaneira e fiscal, uma vez que com esta apreensão evitou-se a evasão de pagamento ao Estado de cerca de um milhão e 300 mil euros em impostos e demais imposições fiscais e aduaneiras», refere a Autoridade Tributária e Aduaneira. 

No âmbito da operação foram ainda detidos três indivíduos, com idades entre os 31 e os 53 anos.

Segundo o comunicado, com esta apreensão evitou-se a evasão do pagamento ao Estado de cerca de 1,3 milhões de euros em impostos e taxas aduaneiras.