Mais de quinze malas de porão com 317 quilogramas de meixão vivo, enguia europeia na fase larvar, uma espécie protegida e de pesca proibida, foram apreendidas no aeroporto de Lisboa, informou esta sexta-feira o Ministério das Finanças.

A apreensão foi feita na alfândega do aeroporto de Lisboa, envolvendo 16 malas transportadas por oito viajantes que tinham como destino final o Vietname e que acondicionaram o meixão em sacos de plástico com água, intercalados com sacos térmicos.

Trata-se de uma das espécies mais traficadas no mercado negro, sendo um comércio ilegal muito apetecível, podendo um quilograma atingir o valor de 1.000 euros”, afirma o Ministério das Finanças, no comunicado, destacando o trabalho da Autoridade Tributária e Aduaneira (alfândega), tutelada pelo ministério, na apreensão efetuada pela ASAE - Autoridade de Segurança Alimentar e Económica.

O meixão é procurado para fins alimentares, especialmente nos mercados asiáticos.