As autoridades portuguesas apreenderam e destruíram 29 encomendas com 375 embalagens do produto Vigour 800, vendido pela internet contra a disfunção erétil e que foi mandado retirar do mercado espanhol por conter princípios ativos não declarados no rótulo.

Apresentado como um substituto natural do famoso comprimido azul (Sildenafil), este produto é comercializado em Portugal através da internet e enviado pelo correio para os compradores ou entregue em mão.

Em Espanha, a Agência de Medicamentos e Produtos Sanitários ordenou a retirada do mercado do Vigour 800 por este conter na sua composição princípios ativos não declarados no rótulo.

A autoridade que regula o setor do medicamento em Portugal (Infarmed) disse à Lusa que o Vigour não é um medicamento autorizado por este organismo do Ministério da Saúde.

O Infarmed não recebeu qualquer alerta de segurança da Agência Espanhola do Medicamento, mas em novembro de 2011 tomou conhecimento da existência deste produto através de um alerta emitido pela Autoridade Dinamarquesa do Medicamento, por conter na sua composição substâncias ativas medicamentosas, esclareceu.

No âmbito do protocolo de colaboração existente entre o Infarmed e a Autoridade Tributária e Aduaneira sobre o controlo diário de remessas de medicamentos importados provenientes de países terceiros, foram apreendidas 29 encomendas num total de 375 embalagens do Vigour 800, as quais foram objeto de destruição, revelou à Lusa o Instituto.

O Infarmed adiantou ainda que, por se tratar de um produto que se apresenta como suplemento alimentar, foi dado conhecimento à Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), para este informar o instituto sempre que o produto fosse detetado em Portugal.

A Lusa constatou que existem vários sites na internet a promover a venda deste produto, que pode custar entre 20 a 60 euros por embalagem com dez comprimidos.