Portugal é dos países da Europa que menos apoio dá às famílias. Um relatório do Observatório das Famílias revela dados que demonstram a extensão da crise social. E o exemplo máximo é o de que entre 2009 e 2012, mais de meio milhão de crianças e jovens perderam o direito ao abono de família.

O relatório diz ainda que as famílias portuguesas estão mais pequenas e os casais têm menos filhos. O número de descendentes raramente ultrapassa os dois e há cada vez mais famílias recompostas.

Um exemplo que consta do relatório do observatório das famílias mostra que, em 2011, os casais sem filhos representavam já cerca de 24% da população, quando em 1960 eram apenas 15%.

O país está a ficar cada vez mais envelhecido e as famílias numerosas, com mais de cinco pessoas no agregado, representam hoje apenas 2% da população.