"É um crime com que, cada vez mais, as pessoas não estão a compactuar, nem a ficarem caladas", mas ainda há muito mais a fazer em relação aos idosos", disse Maria de Oliveira, técnica da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima, que falava à Lusa a propósito do Dia Internacional de Sensibilização sobre a Prevenção da Violência Contra as Pessoas Idosas, assinalado hoje.