A GNR está a alertar os cidadãos para terem cuidado com anúncios de emprego fraudulentos, que podem envolver crimes de branqueamento de capitais. Em comunicado, as autoridades divulgam um caso concreto, na sequência de uma queixa, mas advertem que podem existir mais e os cidadãos precisam de colaborar na denúncia. Caso contrário, poderão ser encarados como «cúmplices». 

O Comando Territorial de Évora da GNR explica o caso: um homem, residente em Vendas Novas, apresentou uma queixa, no posto daquela cidade, na segunda-feira, por suspeita da prática de um crime branqueamento de capitais. O queixoso relatou ter respondido a um anúncio de emprego, disponibilizado numa página na Internet, que oferecia «um ordenado mensal de 1.800 euros, acrescido de comissões e possibilidade de crescimento dentro da empresa». Mas, após a sua resposta, foram depositados na sua conta bancária «4.900 euros para posterior transferência, em dólares, para uma conta num banco localizado num país estrangeiro».

O homem, que suspeitou do crime de branqueamento de capitais, «reportou os factos ao Posto Territorial de Vendas Novas da GNR» e «procedeu ao levantamento dos 4.900 euros», quantia que foi apreendida «como meio de prova» e entregue ao Ministério Público, à ordem do processo instaurado.

«A situação reportada não é nova», admite a GNR, que identifica os indivíduos alvo deste tipo de fraude como «Money Mules». «As Money Mules são aliciadas através de falsos anúncios de emprego, usados por criminosos para angariar» quem os ajude «a fazer sair do país dinheiro proveniente da sua atividade criminosa».

As pessoas aliciadas, «ao receberem o dinheiro nas suas contas bancárias, ficam com uma parte e encaminham o restante para contas no estrangeiro». A Guarda Nacional Republicana acrescenta que os valores depositados «são sempre inferiores aos 5.000 euros», para que os bancos não sejam obrigados a alertar o Banco de Portugal.

O dinheiro tem como destino«“o Brasil ou a Rússia», países «onde estes esquemas fraudulentos têm origem». «É neste ponto que as Money Mules se apercebem de que estão prestes a participar num esquema de branqueamento de capitais, havendo quem decida denunciar o caso às autoridades», esclarece a GNR.

Contudo, admitiu, existem «outros» indivíduos que, «tentados pela possibilidade de ganharem rapidamente algumas centenas de euros, não denunciam a fraude». A GNR alerta, por isso, para a necessidade de os cidadãos que conheçam situações idênticas à de Vendas Novas «contactarem imediatamente as autoridades», pois, caso não o façam, podem vir a ser «considerados cúmplices de uma atividade criminosa de branqueamento de capitais».