António Costa anunciou que as escolas dos concelhos de Pedrogão Grande, Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera vão estar encerradas "por tempo indeterminado" e que todos os alunos residentes nestas regiões e que tinham exames marcados terão as provas adiadas. O anúncio do primeiro-ministro foi feito este domingo, em Pedrógão, região afetada por um incêndio que deflagrou no sábado e que se tornou no mais mortífero da história do país. 

O chefe do Executivo socialista informou que há quatro centros operacionais da Segurança Social instalados na região, mais precisamente em Pedrógão, Avelar, Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera para fazer face à tragédia.

"A secretária de Estado da Segurança Social vai permanecer em Pedrógão para articular todas as respostas que são necessárias e o ministro do Planeamento coordenará, tal como aconteceu no ano passado nos incêndios da Madeira", acrescentou.

António Costa destacou que "a situação não está ainda concluída" e que o incêndio se mantém ativo". De resto, há duas frentes do incêndio muito violentas que estão a dar luta aos bombeiros.

"Mantém-se um trabalho penoso de identificação de vítimas. As Forças Armadas estão a reforçar a sua presença e estão a deslocar-se para o terreno, darão apoio no rescaldo", destacou Costa.

O primeiro-ministro está a visitar as áreas afetadas pelo incêndio, estando pelas 18:00 no município vizinho de Figueiró dos Vinhos, depois de já ter passado por Castanheira de Pera.

Fonte oficial do Governo disse à agência Lusa que estas deslocações têm como principal objetivo preparar o plano de resposta do Estado face às consequências do incêndio. O líder do executivo tem estado acompanhado pelos ministros do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, e da Agricultura, Capoulas Santos.

Após ter estado reunido ao início da tarde com autarcas e bombeiros em Pedrógão Grande, onde se inteirou da situação "de forma a coordenar a resposta a dar às populações atingidas", António Costa seguiu para Castanheira de Pera e depois para Figueiró dos Vinhos, onde se encontra neste final da tarde.

Na rede social Twitter, o primeiro-ministro escreveu que nas reuniões que tem mantido "a prioridade é a salvaguarda de vidas humanas, controlar os focos de incêndio e apoiar as populações vítimas deste flagelo".