A Guarda Nacional Republicana fiscalizou 4.864 condutores na quarta-feira, no âmbito da operação “Anjo da Guarda”, tendo detetado 260 infrações relacionadas com falta de utilização de cinto de segurança e de sistemas de retenção para crianças.

Em comunicado, a GNR informa que das 260 infrações detetadas, 226 deveram-se a falta de utilização ou utilização incorreta de cinto de segurança e 34 a uso incorreto ou falta de uso de sistema de retenção para crianças.

No âmbito da operação “Anjo da guarda”, destinada a verificar a utilização do uso de cinto de segurança, de sistemas de retenção para crianças e a utilização indevida de telemóvel durante a condução, os militares da GNR registaram ainda 189 infrações por uso indevido de telemóvel.

A operação mobilizou militares dos comandos territoriais e da Unidade Nacional de Trânsito daquela força militar e direcionada para vias no interior das localidades, estradas nacionais, regionais e municipais onde as infrações relacionadas com o objetivo da operação são mais frequentes.

A GNR refere ainda que realizará mais operações preventivas semelhantes ao longo deste ano de modo a alertar os condutores para os riscos associados a estas infrações, sobretudo a incorreta ou não utilização do cinto de segurança e de sistemas de retenção para crianças, que estão associadas às principais causas de agravamento das lesões provocadas em caso de acidente.