A segurança de três mil postos de abastecimento, espalhados por todo o País, tem que que estar garantida «o mais rapidamente possível», disse esta terça-feira o candidato à presidência da Associação Nacional de Revendedores de Combustíveis (ANAREC), refere a Lusa.

Além da ligação dos postos de abastecimento com as forças de segurança, a Associação pretende que seja feita a instalação, naqueles locais, de sistemas de videovigilância e de telecomunicações.

O prazo para a colocação destes equipamentos ainda não esta estabelecido mas «o processo terá mesmo que ser breve», disse Virgílio Constantino.

A Associação reúne-se, quarta-feira, em Vila do Conde, a partir das 15h00, no Hotel Santana, para debater esta questão, sendo que já há protocolos firmados com o Ministério da Administração Interna, com a Associação Portuguesa das Empresas Petrolíferas (APETRO) e a Fundação Telecel.

«Já existe esta colaboração estreita com aquelas instituições e também com o Ministério da Administração Interna e vamos continuar a trabalhar para que possamos partir para o terreno e instalar, em definitivo, esses equipamentos que visam a segurança das pessoas».

Os postos de abastecimento têm sido «alvo de muitos assaltos e é preciso criar mecanismos que travem estas situações».

Durante este encontro, a Associação vai apresentar dados concretos em relação à forma e ao número de assaltos nas bombas de gasolina, dados que vão servir para «sustentar» estas mesmas necessidades, concluiu Virgílio Constantino.