A 15 de dezembro de 2013, seis jovens estudantes da universidade Lusófona morreram na praia do Meco.

As vítimas pertenciam ao COPA, o conselho oficial de praxe académica. Eram representantes de curso e todos eles estavam ainda ligados à vida das praxes, apesar de a maioria já ter terminado o curso ou estar prestes a fazê-lo.

As famílias não faziam ideia da dimensão do envolvimento dos filhos nas praxes académicas, que se conheceram todos na universidade Lusófona, e que passaram a viver em função das praxes e pelas praxes morreram

Quase seis meses depois da tragédia do Meco, as famílias das seis vítimas, continuam à espera de saber, o que aconteceu naquela noite fatídica.

Para eles o tempo parou. Resta-lhes as memórias de filhos por quem viveram e sonharam.

É este o tema do Repórter TVI para ver esta noite no Jornal das Oito.