Os trabalhadores da Segurança Social (ISS) de Vila Franca de Xira acusaram, esta quinta-feira, a direção do Instituto da Segurança Social (ISS) de os estar a pressionar a regressar às antigas instalações, fechadas há três meses por suspeita da presença de amianto.

As instalações onde funcionava o serviço de Segurança Social de Vila Franca de Xira foram encerradas provisoriamente em março desde ano para que ali fossem realizadas obras, nomeadamente a substituição de tetos falsos, pinturas de paredes e reparação de partes degradadas do chão.

Entretanto, os 41 trabalhadores daquele serviço foram instalados noutras instalações até que estejam concluídas as obras.

As obras foram motivadas por queixas relativas à qualidade do ar do edifício e à existência aparente de materiais com amianto, aos quais os trabalhadores associam o aparecimento de doenças oncológicas e respiratórias.

Esta tarde, em declarações à agência Lusa, Sebastião Santana, do Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais, queixou-se do facto da Direção do ISS pretender que os trabalhadores regressem às antigas instalações.

É uma situação inadmissível porque existe uma comprovada falta de qualidade do ar e um risco sério de saúde, tanto para os trabalhadores como para os utentes", afirmou.

O sindicalista referiu, ainda, que o ISS "não só não cumpriu com a promessa de realizar rastreios de saúde, como também está a "obrigar os trabalhadores a manusear processos em papel”, um dos motivos que levou ao encerramento das instalações.

Foi prometido a estes trabalhadores que toda a matéria perigosa (incluindo os processos antigos em papel) seriam manuseados por uma empresa especializada e não é o que está a acontecer. É um desrespeito pela saúde dos trabalhadores", reiterou.

Nesse sentido, Sebastião Santana referiu que os trabalhadores da Segurança Social de Vila Franca de Xira irão realizar um plenário no próximo dia 16 de junho, estando em cima da mesa a realização de nova greve.

Vamos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para trabalharmos numas instalações dignas", sublinhou.

Contactada pela Lusa, fonte do Instituto de Segurança Social assegurou que ainda não existe uma decisão final, explicando que após a conclusão das obras irá ser feita uma reavaliação, que inclui um diálogo com os trabalhadores.

A mesma fonte refere, ainda, que "existe uma total disponibilidade por parte da atual direção do ISS para receber e dialogar com os trabalhadores de Vila Franca de Xira.