"Se nada for feito rapidamente, outras 20 casas, situadas a cerca de 400 metros, poderão ficar em perigo", avisou António Brandão.








"Queremos garantias, por escrito, de que vai ser resolvido o problema", exclamou.








(Foto de arquivo)