A PSP deteve esta terça-feira cinco pessoas e constituiu 15 arguidos na operação de combate ao tráfico de estupefacientes nas zonas da Amadora e Sintra, com 33 buscas domiciliárias, apreendendo droga e uma  «avultada quantia» de dinheiro, ainda por contabilizar.

De acordo com o porta-voz do Comando Metropolitano de Lisboa (Cometlis) da PSP, comissário Rui Costa, da operação em que estiveram envolvidos mais de 200 polícias, resultou ainda na apreensão de duas caçadeiras de canos serrados, uma pistola de calibre 6.35 milímetros e várias munições de 12 milímetros.

Durante a operação, os elementos policiais também apreenderam uma quantidade, ainda por contabilizar, de heroína, cocaína e haxixe, assim como uma «avultada quantia» de dinheiro, segundo o balanço preliminar apresentado pelo porta-voz do Cometlis.

No decorrer das buscas domiciliárias foi ainda apreendida uma soqueira, um bastão extensível, uma nota falsa de 500 euros, além de material utilizado na comercialização de estupefaciente, nomeadamente balanças e moinhos.

«A operação, que se iniciou às 07:10, decorreu sem incidentes a registar. Foram efetuadas 33 buscas domiciliárias e os detidos são suspeitos da venda direta de produto estupefaciente nas redondezas do Bairro 06 de Maio. Além disso há as armas apreendidas, que poderão estar correlacionadas com a prática de crime violento», explicou Rui Costa.

Classificando aquele bairro como «sensível», o porta-voz do Cometlis afirmou que esta operação visou demonstrar que a polícia está atenta, no sentido de dissuadir e combater o tráfico de estupefacientes, e para que os moradores se sintam mais seguros.

A PSP conta fazer um balanço final da operação no decorrer do dia.

A operação policial contemplou a realização de 29 buscas domiciliárias no Bairro 6 de Maio, na Venda Nova, Amadora, duas outras em locais daquele concelho e mais duas em zonas distintas no concelho de Sintra.

Esta mega operação é o culminar de uma investigação iniciada «há seis meses» pela PSP, de combate ao tráfico de estupefacientes, nomeadamente a venda direta aos consumidores.

Na operação, que cercou o Bairro 6 de Maio, estiveram envolvidos mais de 200 homens, entre os quais um efetivo da Unidade Especial de Polícia, composto pelo Corpo de Intervenção, Grupo de Operações Especiais e Grupo Operacional Cinotécnico, além de um dispositivo de ordem pública e de investigação criminal do Cometlis.