Há seis anos que os alunos da escola básica n.º1 de Camarate, em Loures, estudam em contentores.

Em 2009 o estabelecimento de ensino foi desativado, e as aulas foram transferidas para contentores instalados em frente ao antigo edifício. Uma situação que foi declarada como «provisória», mas que se alonga a mais um inverno, em que as crianças continuam sem um local de recreio devidamente abrigado da chuva.

A construção de um novo equipamento já foi anunciada pela Câmara de Loures, certo é, no entanto, que cerca de uma centena de alunos do primeiro ciclo e do pré-escolar continuam a estudar nos contentores.
 

A notícia de que a obra será iniciada em breve foi recebida com grande agrado por parte dos responsáveis do estabelecimento escolar, que se queixam das atuais condições.

«Tem sido bastante difícil, nomeadamente em tempos de calor, quando há problemas com o ar condicionado. No inverno a água entra, forma grandes poças de água e é difícil os meninos virem ao recreio», afirmou Branca Neves, adjunta da direção do Agrupamento de Escolas de Camarate, em declarações à agência Lusa.

 

À semelhança das salas de aula e da biblioteca, também o refeitório funciona num espaço improvisado, que vai «remediando» a situação.

A vereadora da Educação da Câmara de Loures, Maria Eugénia, contou que a intenção da autarquia, liderada pelo PCP desde outubro de 2013, é que a nova escola, orçada em cerca de dois milhões de euros, esteja concluída até 2016.

«Vamos construir um edifício de raiz garantido as condições básicas que a escola pública tem e merece. Estamos neste momento a preparar os planos e os projetos», avançou a autarca à Lusa.


Maria Eugénia Coelho lamenta que a situação se tenha arrastado durante tantos anos, e refere que o aluguer durante seis anos dos contentores correspondeu a um encargo de cerca de meio milhão de euros.

«Há um conjunto de alunos que nunca frequentaram o ensino básico para além dos contentores. Não conhecem outra escola, o que é triste e dramático até», constata.

A construção de uma nova escola básica em Camarate é considerada pela Câmara de Loures como «prioritária e urgente», pelo que o executivo aprovou recentemente, para o efeito, um empréstimo de 12 milhões de euros.

Atualmente, estudam nas atuais condições 70 alunos do 1.ºciclo, e 25 do pré-escolar.