São crianças e jovens, mas podem vir a desempenhar um papel de chefia. É o que pretende a Câmara de Chaves, que desafiou os alunos, desde o 1º ao 12º anos, a ocuparem o lugar de «Presidente de Câmara». Como? Através de um concurso literário que os incentiva a apresentar soluções para os problemas atuais do concelho.

«Se eu fosse presidente de Câmara» é o nome da iniciativa, que tem como objetivo promover uma participação ativa dos jovens em atividades organizadas pela autarquia, bem como despertá-los para os valores da cidadania. O concurso é dirigido aos 4.300 alunos dos diversos níveis de ensino e os trabalhos deverão ser entregues até 2 de março de 2015, informou esta quinta-feira o município.

Há duas fases: o concurso literário «Se eu fosse Presidente», em que os estudantes deverão descrever as principais intervenções a realizar para resolver os problemas atuais no concelho; e, depois, a «Semana com o Presidente», que consiste na escolha de dois estudantes, com os melhores trabalhos (um rapaz e uma rapariga), para acompanharem toda a agenda do presidente António Cabeleira, desde reuniões a visitas, durante a semana de 23 a 27 de março. 

Esta é a terceira edição do concurso, sendo que última foi já há quase uma década, em 2005.

O município de Chaves está também a promover os concursos «Dar vida às nossas aldeias» e «Árvore de natal reciclada». A primeira pretende explorar os hábitos, costumes e produtos tradicionais do concelho, sob o mote dos Sabores de Chaves e é dirigida aos meninos dos jardins-de-infância e escolas de 1.º ciclo. Os trabalhos devem ser apresentados até ao dia 26 de janeiro. A segunda tem como objetivo criar uma árvore de Natal com materiais reciclados, despertando o interesse na separação dos resíduos, segundo fonte da autarquia. Este concurso destina-se a todos os jardim-de-infância e escolas do 1.º ciclo e deverão ser entregues até ao dia 12 de dezembro.