A Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) informou esta sexta-feira que a eventual presença de amianto em duas unidades de saúde de Almeirim "está sob avaliação", remetendo mais informações após a conclusão da mesma.

Na resposta enviada à agência Lusa, no seguimento da questão levantada ao Governo pelo grupo parlamentar "Os Verdes" (PEV) sobre a suspeita da presença de amianto em duas unidades de saúde de Almeirim, pode ainda ler-se que o processo de avaliação está a ser efetuado pelo Departamento de Instalações e Equipamentos da ARSLVT.

A questão foi colocada por alguns funcionários dos polos de saúde de Benfica do Ribatejo e Fazendas de Almeirim, no concelho de Almeirim, distrito de Santarém, a uma dirigente do partido, Sónia Colaço, que afirmaram estar "preocupados com a possibilidade das placas de fibrocimento conterem amianto, uma substância altamente perigosa para a saúde pública".

Sónia Colaço, dirigente do PEV, disse na quinta-feira à agência Lusa que a preocupação centra-se designadamente nos telhados, tendo em conta que "não foram substituídos e que a sua época de construção data dos anos 1980".

Residente em Almeirim e vereadora na Câmara Municipal local, a dirigente de Os Verdes referiu que os funcionários "estão preocupados" com a situação que se verifica naquelas unidades de saúde uma vez que "não se aperceberam de nenhuma equipa a fazer a verificação dos telhados nem a substituir as placas de fibrocimento".

"Na listagem do Governo, estes edifícios constam como não tendo amianto, contudo, foi-nos transmitido pelos trabalhadores da Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados de Almeirim - Polo de Fazendas de Almeirim e Polo de Benfica do Ribatejo -, que não foi feita uma avaliação completa dos edifícios em causa", declarou.

A Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) disse ainda que só poderá adiantar mais informações após a conclusão do processo da avaliação.