O membro do Movimento Ibérico Antinuclear (MIA), Paco Castejon, defendeu este sábado o encerramento da central nuclear de Almaraz e todas as centrais espanholas e alertou para o perigo dos resíduos nucleares que "são um verdadeiro pesadelo".

Os resíduos nucleares são um verdadeiro pesadelo. Não há uma solução para isso e não sabemos o que fazer com eles", afirmou.

O físico nuclear espanhol e membro do MIA, falava hoje em Cáceres, Espanha, numa intervenção que antecede a manifestação ibérica pelo encerramento da central nuclear espanhola de Almaraz.

Vamos ver se hoje temos mais uma vitória. Temos que fechar Almaraz e todas as outras [centrais nucleares]. Não vemos mais do que autoritarismo caciquismo", disse.

Segundo este responsável, a central de Almaraz cria um milhão de euros por dia em benefícios, facto que justifica que não a queiram fechar.

Há recursos para o desenvolvimento sem o nuclear. Entre todos, podemos conseguir encerrar Almaraz para que as pessoas possam viver em paz", concluiu.

Já Heloísa Apolónia, do partido ecologista "Os Verdes", disse estar na manifestação pelo encerramento da central nuclear de Almaraz, "com muito gosto e grande responsabilidade".

Sabemos que o nuclear não é uma energia limpa nem segura. Temos o direito de clamar por uma vida segura", afirmou.

A deputada de "Os Verdes" sublinhou que esta central nuclear já ultrapassou em muito o seu tempo útil de vida e constitui "um grande perigo".

"Os Verdes reivindicam há muito o seu encerramento e temo-nos juntado a todas as manifestações ibéricas pelo encerramento de Almaraz", disse.

Estamos aqui para dizer nuclear, não, obrigado", concluiu.

Samuel Infante, da associação ambientalista Quercus, considerou o dia de hoje como "histórico".

"É a primeira vez que há uma participação em massa e esperamos que seja o início de uma onda e que se possa fechar Almaraz e outras centrais nucleares", sublinhou.

O ambientalista adiantou que é preciso acabar com a indústria do nuclear, não só na Península Ibérica, mas também por toda a Europa.

A concluir a sua intervenção deixou um apelo: "Fechar Almaraz, juntos vamos conseguir".