A tela "Arlequim, Bailarina e Cavalo", de Almada Negreiros, foi hoje vendida em leilão por 150 mil euros, e "Maria da Fonte", de Júlio Pomar, por 130 mil euros, segundo fonte do Palácio do Correio Velho, em Lisboa.

Contactada pela agência Lusa, fonte da leiloeira indicou que no leilão iniciado pelas 19:30, e que ainda decorria às 23:15, o quadro de Almada Negreiros foi vendido pelo valor base de licitação, que era de 150 mil euros, e a obra de Júlio Pomar, arrematada por 130 mil, tinha uma base de licitação de 120 mil euros.

As obras - criadas na década de 50 do Século XX - encontravam-se em destaque entre os 614 lotes do Leilão de Antiguidades e Arte Moderna e Contemporânea que decorrerá durante três dias.

Questionada sobre os compradores, a leiloeira disse não poder avançar se são portugueses ou estrangeiros.

A obra de Almada Negreiros (1893-1970) "Arlequim, Bailarina e Cavalo" foi encomendada por uma família lisboeta, com casa no Restelo, em Lisboa, e está assinado e datado de 1953.

A obra "Maria da Fonte", pintada em 1957 por Júlio Pomar, é considerada a última obra do período neorrealista do autor, atualmente com 89 anos.

Trata-se de um óleo sobre aglomerado, com 121 por 180 centímetros, que representa várias figuras de trabalhadores rurais e a sua proveniência é da Coleção Humberto Pelágio, de Lisboa.

Raramente exposta, segundo o Palácio do Correio Velho, esta obra participou apenas em 1957, na 1.ª Exposição da Fundação Calouste Gulbenkian e, depois, em 2004, na retrospetiva do Museu Berardo, em Sintra, intitulada "Autobiografia".