Da próxima vez que se irritar com alguém ou com alguma coisa, pergunte a si mesmo se comeu. Em inglês, há um trocadilho com as palavras  “hungry” (fome) e angry (irritado), que têm o mesmo som e que, misturando-as, fica “hangry”. Ora, esta brincadeira de sons e palavras é a ideal para explicar a relação entre ter fome e ficar de mau humor.

O “hanger” existe e acontece quando passa muitas horas sem comer, fazendo baixar os níveis de glucose, ou seja, aquilo que, na gíria, se chama o açúcar do sangue. É que o nosso cérebro gasta muita glucose para garantir o autocontrolo.

Quando o corpo tenta compensar a falta de glucose, começa a libertar outras hormonas, como o cortisol e a adrenalina, que podem potenciar os comportamentos agressivos.

Assim, níveis reduzidos de glucose estão associados a comportamentos agressivos e até violentos, como explicou um estudo da Universidade da Florida, nos Estados Unidos. Garantir esse autocontrolo é importante para melhorar a concentração, lidar com o stress ou até para deixar de fumar, como refere a Personality and Social Psychology Review.

Esta questão torna-se muito importante em doentes com diabetes. Por outro lado, o álcool reduz os níveis do glucose no sangue.

Vários estudos acordam que comer uma colher de açúcar faz acalmar um comportamento agressivo, como refere uma publicação sobre estudos de medicina. 

O ideal é não fazer intervalos muitos grandes entre as refeições. A nutricionista Lauren Slayton sugere, no Huffington Post, que cumpra a regra de não passar mais de quatro horas sem comer. Entre as refeições principais, a fruta pode ser uma boa opção, porque fornece açúcares e muita energia.