Os alimentos acídicos, como o queijo, o leite, a carne e os açúcares, podem gerar problemas de saúde, incluindo doenças cardiovasculares, fadiga crónica, alergias, diabetes, obesidade e síndrome do cólon irritável.
 
Para compensar o organismo, devem ser ingeridos alimentos alcalinos, como legumes e frutas.
 
A especialista em medicina biológica e antienvelhecimento, Alexandra Vasconcelos, explicou, na TVI, nesta terça-feira, a importância de uma alimentação equilibrada.
 
 “Para que as nossas células e o nosso metabolismo funcionem de uma maneira perfeita ou normal, digamos assim, deveríamos ter um PH ligeiramente alcalino, entre o 7.3 e o 7.4. O que acontece é que, nos últimos anos, invertemos a nossa alimentação e começámos a ingerir muito mais alimentos que nos acidificam e que são os alimentos modernos, como os queijos, os leites, as carnes, o café, o álcool, os açúcares, tudo alimentos que acidificam e, portanto, devemos contrabalançar com alimentos que alcalinizam, que são os legumes, as frutas e alguns cereais”, defendeu.
 
Alexandra Vasconcelos insistiu na importância deste equilíbrio ácido-alcalino, dando o exemplo da osteoporose.
 
“É um tema polémico, mas a osteoporose prende-se muito mais com esta questão da acidificação do que com a falta de cálcio e de leite, porque o leite é um alimento que nos vai acidificar”, alertou, lembrando que também as águas minerais que compramos devem ser tidas em conta, escolhendo preferencialmente “uma água neutra ou alcalina, sempre acima do PH7”.
 
“As pessoas não percebem a importância da acidificação. Para que não vivamos em acidificação, o corpo vai neutralizá-la e vai fazê-lo ‘roubando’ os minerais positivos que temos acumulados no corpo, nomeadamente o magnésio, o cálcio e o potássio, que nos fazem falta. E os primeiros sintomas de acidificação são cãibras, cansaço, dores osteoarticulares, porque começamos a ficar desmineralizados”, descreveu, alertando para a “facilidade de multiplicação de células cancerígenas em meios ácidos”.
 
O equilíbrio é o melhor remédio e, por isso, a regra é simples: por cada alimento ácido ingerido devemos ingerir um alcalino. Ou seja, contrabalançar o leite, o queijo, as carnes e os açúcares, por exemplo, com legumes, vegetais e frutas, além de amêndoas e sementes de linhaça.