O jovem que na madrugada de terça-feira foi detido, em Faro, depois de, alegadamente, ter esfaqueado um britânico no Pereiro, em Alcoutim, vai aguardar julgamento em prisão preventiva, disse fonte policial, esta quarta-feira.

O detido tem 20 anos e foi acusado dos crimes de “homicídio agravado e furto qualificado”, anunciou a Polícia Judiciária (PJ) em comunicado, frisando que a detenção foi feita em colaboração com a PSP de Faro, que o intercetou durante a madrugada de terça-feira nesta cidade.

O detido, no interior de uma casa sita na zona do Pereiro, concelho de Alcoutim, na sequência de uma altercação com o proprietário desta, um homem de 58 anos de idade, muniu-se com uma arma branca e desferiu-lhe vários golpes no abdómen, ocasionando-lhe a morte”, contextualizou a PJ.

A Polícia Judiciária acrescentou que o jovem, após agredir o britânico, se “apoderou da viatura da vítima e de vários objetos, vindo a ser intercetado em Faro por condução sem habilitação legal”.

O detido foi presente a primeiro interrogatório judicial no Tribunal de Vila Real de Santo António, que lhe decretou como medida de coação a prisão preventiva, disse fonte policial.

Na terça-feira, uma fonte policial disse que um britânico, de 59 anos, tinha sido “encontrado morto em casa, em Alcoutim, depois de, alegadamente, ter sido esfaqueado por um jovem de 20 com quem manteria um relacionamento”. Fonte da PSP adiantou que o suspeito foi detido pela polícia por condução sem carta, numa operação de fiscalização do trânsito, mas o facto de estar a conduzir uma viatura de alta gama e de ter consigo objetos de valor levantou suspeitas.

A polícia questionou quem era o proprietário da viatura, que não estava registada como roubada, tendo o jovem respondido que se tratava de um britânico residente na zona do Pereiro, em Alcoutim, com quem estaria desde sexta-feira e a quem tinha "dado umas facadas", confessando aos agentes que, possivelmente, "estaria morto".

A PSP entrou em contacto com a GNR de Alcoutim, que se dirigiu à residência da vítima, mas sem que alguém abrisse a porta. Após a confissão do crime, foi pedido aos militares que forçassem a entrada na casa, onde encontraram o cidadão britânico já sem vida.

O presidente da Junta da União de Freguesias de Alcoutim e Pereiro, João Carlos Simões, disse na terça-feira que a comunidade está "completamente surpresa" com o episódio, porque se trata de uma "zona pacata” e o inglês residia no Cerro da Vinha “há largos anos”.