“Como não se podem prestar cuidados de saúde quando há presença de legionella, pedimos para não serem prestados cuidados nessa zona e para serem utilizados outros gabinetes do próprio centro de saúde para essa função”, acrescentou.




“Estas questões não se resolvem de um dia para o outro, são canalizações antigas, estamos há duas ou três semanas a avaliar a situação e a trabalhar para a resolver, mas podemos tranquilizar as pessoas sobre este assunto. Pode haver algumas perturbações nos serviços prestados nessa unidade, mas sem pôr em causa e em risco os utentes”, afirmou ainda a delegada regional de Saúde do Algarve.