A delegada regional de Saúde do Algarve informou esta segunda-feira que foi detetada a presença de legionella no centro de saúde de Vila Real de Santo António, mas assegurou que “não há risco” para os utentes.

Ana Cristina Guerreiro explicou à agência Lusa que a bactéria foi detetada no âmbito das “análises periódicas” que as autoridades de saúde fazem a hospitais, hotéis e outros edifícios e que estava presente “numa zona do centro de saúde de Vila Real de Santo António”.

A mesma fonte precisou que a presença de legionella foi “detetada numa canalização antiga” e foram tomadas medidas para evitar a prestação de cuidados na zona afetada, localizada próximo da Unidade de Cuidados Continuados que funciona dentro do centro de saúde.

“Como não se podem prestar cuidados de saúde quando há presença de legionella, pedimos para não serem prestados cuidados nessa zona e para serem utilizados outros gabinetes do próprio centro de saúde para essa função”, acrescentou.


Ana Cristina Guerreiro garantiu que “não há risco para os utentes” e que “estão a ser tomadas as medidas necessárias” para que a situação se normalize, embora se estejam a verificar “algumas perturbações” nos serviços prestados na Unidade de Cuidados Continuados do centro de saúde.

Questionada sobre se a presença da bactéria já tinha sido detetada há algum tempo, a mesma fonte respondeu que “sim”.

“Estas questões não se resolvem de um dia para o outro, são canalizações antigas, estamos há duas ou três semanas a avaliar a situação e a trabalhar para a resolver, mas podemos tranquilizar as pessoas sobre este assunto. Pode haver algumas perturbações nos serviços prestados nessa unidade, mas sem pôr em causa e em risco os utentes”, afirmou ainda a delegada regional de Saúde do Algarve.