Os pólenes vão estar em níveis muito elevados nas regiões do Alentejo e do Algarve a partir de sexta-feira e durante uma semana, indicou a Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC) nesta quinta-feira.

Segundo a SPAIC, a previsão para a semana de 8 a 14 de abril indica que em Évora (região do Alentejo) os pólenes encontram-se em níveis muito elevados, em particular devido aos pólenes das árvores azinheira e plátano, e das ervas urtigas, azeda e gramíneas.

Também em Portimão (região do Algarve), os pólenes vão estar em níveis elevados, predominando no ar os pólenes de carvalhos e pinheiro e da erva urtiga.

Na região de Lisboa e Setúbal, os pólenes estão em níveis moderados, com predomínio dos pólenes das árvores plátano, carvalhos, pinheiro e das ervas urtiga e parietária.

Para o norte, os pólenes estão em níveis baixos: na região de Trás-Os-Montes e Alto Douro, predominam os pólenes de pinheiro, plátano, carvalhos e bétula.

No Porto (região de Entre Douro e Minho) e em Coimbra (região da Beira Litoral), os pólenes predominantes são os das árvores pinheiro, plátano e carvalho e da erva urtiga.

Em Castelo Branco (região da Beira Interior) predominam os pólenes das mesmas árvores, mas também das ervas urtiga e azeda.

No arquipélago da Madeira, os pólenes estão igualmente em níveis baixos, com destaque para os pinheiros, as ervas urtiga e as gramíneas.

Já nos Açores, os pólenes atingem níveis moderados, principalmente os das árvores pinheiro, plátano e cipreste e os da erva urtiga.