A GNR anunciou hoje a detenção de dois homens e uma mulher estrangeiros, entre os 20 e os 30 anos, que participaram na festa ilegal na barragem de Odivelas (Ferreira do Alentejo), por posse de armas proibidas.

Fonte do Comando Territorial de Beja da GNR explicou hoje à Lusa que estes três participantes da festa rave ilegal na albufeira, todos de nacionalidade francesa, foram detidos no domingo, na posse de «uma catana, um bastão extensível e um taco de basebol».

VÍDEO: «Aquilo foi uma autêntica batalha campal»

«Foram detidos e, posteriormente, libertados e notificados para comparecerem hoje no Tribunal de Beja», para primeiro interrogatório judicial, revelou a fonte, acrescentando que as armas foram apreendidas.

Além destas detenções, na operação de fiscalização efetuada no âmbito da festa e da desmobilização dos participantes, os militares elaboraram também «cinco autos de contraordenação por consumo de droga».

«Várias doses de haxixe, ópio, LSD, uma droga sintética e liamba foram apreendidas» igualmente na ação da força de segurança, acrescentou à Lusa a fonte da Guarda.

A operação da GNR, para acompanhar e fiscalizar a saída das pessoas que acamparam, em tendas e caravanas, na margem da barragem de Odivelas, desde quinta-feira, ainda está a decorrer, disse.

«Chegaram a ser cerca de duas mil pessoas, sobretudo estrangeiros», no acampamento e «começaram a abandonar o local no domingo», afirmou.

Contudo, apesar dessa saída gradual, ainda continua «muita gente no local», frisou.

«É difícil estimar quando é que toda a gente poderá ter saído, porque não podiam sair todos ao mesmo tempo, mas talvez lá para final de terça-feira», referiu a fonte da Guarda.

A barragem de Odivelas, no concelho de Ferreira do Alentejo, foi palco de uma festa rave ilegal. Os participantes começaram a juntar-se na quinta-feira e a transmissão da música arrancou ao final da tarde de sexta-feira.

Contudo, após queixas de turistas e do parque de campismo existente na zona da albufeira, devido ao ruído e ao volume da música, a GNR levou a cabo uma fiscalização no sábado, apurando que a festa «não reunia o conjunto de licenças» e autorizações necessário à sua realização.

Nessa intervenção, a Guarda apreendeu diverso material sonoro, como mesas de mistura e cabos, utilizado na transmissão da música, explicou, no sábado o Comando-Geral da força de segurança.

Na sequência dessa ação, «alguns objetos, nomeadamente pedras, foram arremessados» contra a GNR, alegadamente por participantes da rave, provocando ferimentos ligeiros e escoriações em cinco militares, os quais foram assistidos no Hospital de Beja.