As alegações finais no processo relativo ao homicídio do segurança Nuno «Gaiato», em Julho de 2007, iniciam-se esta terça-feira, às 14:00, no Tribunal de São João Novo, Porto.

O advogado de defesa de Hugo R., um dos três arguidos e acusado pelo tiro fatal que vitimou «Gaiato», disse à Lusa que pretende pedir a absolvição dos crimes imputados ao seu cliente.

Na acusação, a equipa especial liderada pela procuradora Helena Fazenda acusou Hugo R., Vasco C. («Vasquinho») e José S. («Timóteo») pelo assassinato de Nuno Gaiato, consumado na discoteca El Sonero, a 13 de Julho de 2007.

Aos três arguidos são igualmente imputados crimes de coacção agravada, posse ilegal de arma e de estupefacientes.

A investigação do caso concluiu que o homicídio de Gaiato teve um quarto co-responsável, «Berto Maluco», um segurança que acabou abatido a rajadas de metralhadora, junto à sua residência em Santo Ovídio, Gaia, em 10 de Dezembro do ano seguinte.

Durante as várias sessões do julgamento, que teve início a 07 de Janeiro, as testemunhas dividiram-se em acusar ora Hugo R. ora «Berto Maluco» pela morte de «Gaiato», já que os dois eram os únicos elementos que se encontravam junto da vítima no momento do crime.