A GNR deteve 110 condutores durante a operação de fiscalização à condução sob efeito de álcool e drogas realizada em todo o país entre 08 e 14 de dezembro, anunciou a corporação esta segunda-feira.

Segundo a Guarda Nacional Republicana, 72 condutores foram detidos por excesso de álcool, 26 por falta de habilitação legal para conduzir e 12 por outros crimes.

Em comunicado, a GNR adianta que durante a operação foram testados 11.686 condutores, tendo detetado 235 com excesso de álcool, dos quais 72 foram detidos por circularem com uma taxa de álcool no sangue superior a 1,20 gramas por litro.

Durante a operação, denominada “Tispol – álcool e drogas”, a GNR detetou ainda 2.835 infrações, designadamente 916 por excesso de velocidade, 191 por falta de inspeção periódica obrigatória, 176 relativas a cintos de seguranças e cadeirinhas para crianças, 125 por uso do telemóvel durante a condução, 117 relativas a tacógrafos e 56 por falta de seguro.

A operação, realizada em todo o país entre 08 e 14 de dezembro, teve como objetivo fiscalizar a condução sob o efeito do álcool e de substâncias psicotrópicas e o combate à criminalidade, refere a corporação.

A GNR indica ainda que esta operação insere-se na estratégia de combate à sinistralidade rodoviária, definida pela Estratégia Nacional de Segurança Rodoviária e no “Road Safety Programme 2011-2020”, da Comissão Europeia, que visa contribuir para uma maior segurança rodoviária de todos os utentes.