A GNR detetou 56 condutores a conduzirem sob o efeito de drogas no primeiro semestre do ano, mais 12 do que em igual período de 2013, indicou hoje a corporação.

Já os condutores apanhados com o excesso de álcool nos seis primeiros meses do ano desceu, tendo a GNR multado 11.711 automobilistas por terem uma taxa de álcool superior ao permitido por lei, menos 3.897 do que em igual período de 2013, segundo a GNR, que realiza, na madrugada de domingo, uma operação para fiscalizar a condução sob influencia de álcool e droga.

Os dados mostram ainda que a GNR detetou, no primeiro semestre do ano, 4.603 condutores com uma taxa de álcool igual ou superior a 1,20 gramas por litro no sangue, considerada crime, uma redução de 25,8 por cento em relação ao mesmo período de 2013, quando foram apanhados 6.211 automobilistas.

Em comunicado, a Guarda Nacional Republicana destaca a «mudança positiva no comportamento dos condutores» no que toca à condução sob efeito de álcool.

A GNR realiza, entre as 00:00 e as 07:00 de domingo, a «Operação Baco», que tem como objetivo fiscalizar a condução sob influência de álcool e de substâncias psicotrópicas e o combate à criminalidade.

Para a operação vão estar mobilizados 954 militares da GNR, que vão realizar 386 ações de fiscalização «direcionadas para as vias onde as infrações por excesso de álcool são mais frequentes e dão origem a um risco acrescido de acidentes de viação, sobretudo nos acessos a estabelecimentos de diversão noturna, e onde existam dados ou indícios da prática de ilícitos de natureza criminal», adianta a corporação.

Durante a Operação, será realizada na zona de Albufeira uma ação conjunta com elementos da Associação Nacional de Bebidas Espirituosas (ANEBE) no sentido de premiar os condutores, com idades entre os 18 e os 30 anos, que conduzam sem álcool.