O arguido detido na terça-feira, por alegado envolvimento nos incidentes ocorridos em 15 de maio na academia de futebol do Sporting, em Alcochete, ficou esta quinta-feira em prisão preventiva, após primeiro inquérito judicial, no Tribunal do Barreiro.

Hugo Ribeiro aumentou para 37 o número de suspeitos com esta medida de coação, por terem integrado o grupo de cerca de 40 pessoas que invadiram a academia 'leonina' e agrediram vários jogadores e treinadores.

O arguido remeteu-se ao silêncio no primeiro inquérito judicial, sendo indiciado pela prática de crimes de terrorismo, ofensa à integridade física qualificada, ameaça agravada, sequestro, dano com violência, incêndio florestal e introdução em lugar vedado ao público, de acordo com um comunicado do Tribunal do Barreiro.

Foram ainda identificados e constituídos arguidos mais três pessoas, que estão sujeitas à medida de coação menos grave, de termo de identidade e residência.

No dia 15 de maio, a equipa de futebol do Sporting foi atacada na Academia do clube por um grupo de cerca de 40 alegados adeptos encapuzados, que agrediram técnicos, jogadores e ‘staff’.

Na altura, a GNR deteve 23 dos atacantes, que permanecem em prisão preventiva.

No dia 05 de junho, foram detidas pelas autoridades mais quatro pessoas, entre elas o antigo líder da Juventude Leonina Fernando Mendes, que também ficaram em prisão preventiva, tal como mais outras nove pessoas, detidas posteriormente.

Os detidos que aguardam julgamento em prisão preventiva vão responder pela prática de crimes de terrorismo, ofensa à integridade física qualificada, ameaça agravada, sequestro e dano com violência.