A ministra da Administração Interna disse esta quarta-feira, no Sardoal, que a conta de emergência de 500.000 euros anunciada na terça-feira pelo Governo fica imediatamente disponível para ajudar os produtores afetados pelos incêndios a alimentarem o gado.

Constança Urbano de Sousa deslocou-se a um dos locais atingidos pelo fogo que deflagrou na tarde de terça-feira em Sentieiras, na freguesia de Fontes, no concelho de Abrantes, e se juntou ao que lavrava no concelho vizinho do Sardoal, combatido por mais de 700 operacionais.

A conta de emergência é no total de meio milhão de euros e destina-se aos produtores que têm gado e que não têm seguro e não têm outra forma de alimentar o gado naquelas freguesias em que houve mais de 30% de área ardida”, afirmou.

A ministra disse que o dispositivo de combate aos incêndios tem atuado dentro das “limitações” de recursos que “são sempre finitos”, sublinhando que “tem atuado sempre com grande eficácia”.

Não nos podemos esquecer que houve dias em que tivemos 450 incêndios e chegámos ao fim do dia com 10”, frisou.

Nas freguesias abrangidas pelo teor do despacho, a área ardida "corresponde a 30 por cento ou mais da área total".

Águeda, Arouca, Castelo de Paiva, Mealhada, Vale de Cambra (Aveiro), Barcelos, Fafe, Póvoa de Lanhoso, Vieira do Minho (Braga), Fornos de Algodres, Gouveia (Guarda), Marco de Canaveses (Porto), Arcos de Valdevez, Caminha, Paredes de Coura, Ponte de Lima, Valença, Viana do Castelo (Viana do Castelo), Lamego, Resende e São Pedro do Sul (Viseu) são os concelhos englobados no diploma.

A ajuda financeira a conceder aos beneficiários será paga pela Autoridade Nacional de Proteção Civil, titular da conta de emergência, e que está sob tutela do Ministério da Administração Interna, que tomou a iniciativa de acionar a conta de emergência.