"Esta não é uma guerra entre culturas, regiões ou civilizações, é uma guerra do bem contra o mal, uma guerra da paz contra o terror, é uma guerra da vida contra a morte", afirmou o ministro da Defesa Nacional, José Pedro Aguiar-Branco, falando perante os 30 militares que partem na próxima semana para Bagdad para dar formação e treino ao exército iraquiano.


"O abusivamente autoproclamado Estado Islâmico é intrinsecamente contra a nossa identidade enquanto espécie humana, ofende, despreza e agride a dignidade do ser humano. De tal forma que o que parece impossível aconteceu: o combate ao dito Estado Islâmico uniu o mundo, uniu países tão diferentes como Israel ou o Irão ou os Estados Unidos da América ou a Rússia, como se o mundo nesta guerra tivesse feito uma pausa nos seus velhos conflitos e disputas em benefício de um valor maior: derrotar esta ameaça", acrescentou.




"Quando fazemos formação e treino estamos a reforçar a capacidade das forças", sustentou, quando questionado que Portugal terá uma intervenção direta no combate ao movimento extremista Estado Islâmico.