O presidente da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) disse esta quinta-feira que a nova Política Agrícola Comum não vai permitir que haja despovoamento dos territórios como é o caso do interior do país.

«Isto são boas notícias para o interior do país. A nova PAC revela-se contrária àquilo que tem acontecido nas últimas décadas como o despovoamento das regiões mais periféricas», frisou João Machado.

O dirigente afirmou que o retorno de pessoas ao interior já se está a verificar de momento, embora «em pequena escala» havendo um conjunto de jovens que tem retornado à agricultura tendo mesmo investido no setor «à revelia da sua própria formação», acrescentou o dirigente.

João Machado falava à margem do Conselho Regional de Trás-os-Montes promovido pela CAP, em Torre de Moncorvo que juntou 47 associações da lavoura que se fizeram representar por mais de 80 dirigentes.

«Há jovens com formação em outras áreas profissionais que têm vindo a investir na agricultura, tendo de ser aproveitada uma política agrícola que é incentivadora deste retorno à terra», enfatizou.

Trata-se para já, segundo os dirigentes da CAP, de um «movimento contido», mas nos últimos anos foram instalados cerca de três mil jovens no setor agrícola.

«Não é uma grande política de povoamento do território. Agora, poderá ajudar a inverter uma situação que era de despovoamento e transformá-la em povoamento, tornando-se numa inversão positiva que merece ser assinalada», observou.