Um vídeo a que a TVI teve acesso, nesta quinta-feira, mostra dois seguranças a agredirem violentamente dois jovens à porta da discoteca Urban Beach, em Lisboa. Ao que a TVI apurou, as agressões ocorreram na quarta-feira, após a noite de Halloween. O Ministério Público já abriu um inquérito sobre as agressões.

As imagens mostram um jovem caído no chão a ser violentamente pontapeado por seguranças da discoteca, enquanto outro tenta, sem sucesso, ajudá-lo. Os seguranças pontapeiam o jovem várias vezes, incluindo na cabeça e mesmo sem oferecer resistência.

A TVI sabe também que a PSP está a investigar as agressões e que todos os seguranças foram já identificados. 

Estas imagens surgem depois de um outro vídeo ter mostrado violentas agressões a um jovem de 24 anos, em Coimbra, que ficou gravemente ferido. 

O Ministério Público já abriu um inquérito sobre as agressões, disse à Lusa a Procuradoria-Geral da República.

O Ministério Público (MP) decidiu instaurar inquérito. A investigação decorre em articulação com a PSP", respondeu à agência Lusa o gabinete de imprensa da Procuradoria-Geral da República.

Seguranças afastados

À TVI, por parte da discoteca Urban Beach, Paulo Dâmaso admite que "nada justifica" as imagens violentas que estão a percorrer as redes sociais, que, aliás, não repudiam como estão na origem do afastamento dos seguranças..

Foi num período em que o estabelecimento se encontrava encerrado. O relato que nos é feito é o de que terá havido um pedido de socorro junto das rulotes, porque estariam a decorrer assaltos a viaturas. Obviamente, que a atitude a ter é chamar de imediato as autoridades, mas uma vez que os seguranças se encontravam na zona de portaria foi pedido o seu auxílio. Agora, nada justifica esta fase em que se vê realmente estes atos de violência", disse o responsável.

A discoteca já acionou, por isso, os meio legais necessários.

Estas imagens que nos foram dadas a visionar durante o dia… No fundo, lamento, e repudiamos completamente este tipo de situação. Não nos revemos minimamente neste tipo de atitudes. Isto foi um ato bárbaro de violência praticado por elementos que pertencem a uma empresa que nos presta este tipo de serviço de vigilância. Portanto, essas pessoas foram de imediato afastadas. Tivemos de proceder contra eles dentro daquilo que a lei nos permite. E em relação à empresa há uma questão jurídica que também terá de ser analisada, mas que de qualquer forma já pedimos ao nosso departamento jurídico para rapidamente nos apresentar uma solução sobre a melhor maneira de agirmos também sobre essa empresa."

A TVI tentou entrar em contacto com a empresa de seguranca privada PSG, mas sem sucesso até ao momento.