O Ministério Público abriu um processo de investigação à jovem luso-colombiana, na noite de São João, no Porto. A informação foi confirmada à TVI pela Procuradoria-Geral da República.

De acordo com a mesma fonte, o inquérito está a correr no Departamento de Investigação e Ação Penal do Porto.

Nicol Quinayas, a jovem luso-colombiana de 21 anos, que vive em Portugal desde os cinco, queixa-se de ter sido agredida, numa paragem de autocarro, por um segurança dos STCP (Sociedade de Transportes Colectivos do Porto), na noite de 24 de junho. Enquanto a agredia, diz a jovem, o segurança proferiu insultos de cariz racista.

As agressões foram filmadas por populares e divulgadas nas redes sociais. A jovem apresentou queixa na PSP no dia seguinte.

O caso levou já a embaixada da Colômbia a manifestar-se e o PCP, o BE, o PS e o PSD já tinham pedido explicações ao Governo.

A Inspeção Geral da Administração Interna já tinha anunciado que, por decisão do Ministério, vai abrir um processo administrativo com o objetivo de esclarecer o caso da jovem colombiana Nicol Quinayas. A empresa de transportes públicos do Porto também já abriu um processo de averiguações e suspendeu o segurança das funções que desempenhava. Também a empresa de segurança "2045" informou que está a decorrer um processo interno de averiguações