Três pessoas ficaram feridas com gravidade depois de terem sido violentamente agredidas, esta quarta-feira de manhã, em Coimbra. Um vídeo de telemóvel mostra uma das vítimas a ser espancada violentamente. As agressões começaram por causa da espera de um pedido no restaurante McDonalds. À TVI, a primeira vítima, o funcionário do restaurante, de 57 anos, explicou como tudo aconteceu.

Segundo o funcionário, os suspeitos não estavam num sítio adequado "para serem servidos" e quando os chamou a atenção para isso mesmo, os homens começaram as agressões. 

"Mandei-os avançar. Quando avançaram, eu continuei a fazer o meu serviço e houve um deles que se dirigiu a mim e, sem meias palavras, nem chamada de atenção, partiu para cima de mim, para a agressão", acrescentou.

Foi então que apareceu um jovem de 24 anos, acompanhado da namorada e de outra amiga para tomarem o pequeno-almoço. Perante a cena, o jovem tentou defender o empregado, mas acabou por ser espancado. A namorada também foi agredida. 

Entretanto também tinha chegado um moço que vinha tomar o pequeno-almoço com a namorada e uma amiga que viu a cena e chegou-se para tentar defender-me. Ele chegou ao pé dos agressores, estava a dizer para que tivessem calma e quando disse 'tenham calma' levou logo uma cabeçada."

O jovem de 24 anos encontra-se internado com prognóstico reservado. Segundo o funcionário, ele estava "muito ferido" e "não tinha dente nenhum".

Ele estava muito, muito ferido. Ele parecia o Cristo na cruz. Acho que dentes, se não me engano, não tinha nenhum, e por aí se vê a violência das pancadas. A cabeça parecia que um enxame de abelhas o tinha mordido, estava cheio de hematomas e completamente cheio de sangue. A minha farda de trabalho está cheia de sangue", vincou.

Nas imagens gravadas com o telemóvel é possível ver o jovem a ser pontapeado várias vezes por um dos suspeitos. A agressão foi presenciada por várias pessoas nos prédios adjacentes e que apelaram ao fim da violência. Alguns moradores acabaram mesmo por ir para junto da vítima, o que levou os agressores a abandonarem o local. 

Os dois suspeitos já foram identificados, mas ainda não foram localizados.