O ministro da Administração Interna determinou à PSP a realização de uma ação de fiscalização da atividade da empresa de segurança privada PSG, cujos seguranças terão estado envolvidos no episódio de agressões à porta da discoteca Urban Beach, na manhã de quarta-feira.

A empresa de segurança PSG já repudiou este tipo de comportamentos e garantiu que vai tomar todas as diligências para punir os responsáveis.

Em comunicado, a PSG – Segurança Privada, S.A. diz que teve conhecimento do caso através das imagens divulgadas nas redes sociais e em órgãos de comunicação social e garante que “os responsáveis serão punidos de forma exemplar, de acordo com a gravidade do comportamento”.

Segundo comunicado enviado às redações, será também convocado o Conselho de Segurança Privada, "para análise da situação ocorrida no estabelecimento K Urban Beach". 

Eduardo Cabrita vai, assim, ouvir a Inspetora Geral da IGAI, o Comandante Geral da GNR, o Diretor Nacional da PSP, o Diretor Nacional do SEF, o Diretor Nacional da PJ, o Secretário Geral do MAI e representantes de associações de empresas de segurança privada e de associações representativas do pessoal de vigilância.