O subcomissário que agrediu um adepto no final do jogo entre o Vitória de Guimarães e o Benfica já foi ouvido pela Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI), mas mantém a versão de que foi cuspido e insultado.

 

Os inspetores da IGAI estão a interrogar, desde segunda-feira, os intervenientes e as testemunhas envolvidas nos incidentes que se verificaram em Guimarães, a 17 de maio.

 

Filipe Silva, o agente da PSP que agrediu um adepto do Benfica, admitiu que teve uma ação menos correta, mas disse aos inspetores que o adepto fez um pequeno gesto com a cabeça, primeiro para trás e depois para a frente, de forma a ganhar lanço antes de cuspir contra o subcomissário. A informação é avançada pelo "Jornal de Notícias" desta sexta-feira e trata-se da mesma versão que consta do auto de detenção do agredido

O "Correio da Manha" avança que o subcomissário alegou problemas pessoais.

 

O inquérito foi pedido pelo Ministério da Administração Interna depois de um vídeo com a agressão ter sido divulgado nas redes sociais. 

Na próxima semana, a IGAI vai interrogar agentes que estavam com Filipe Silva no dia da agressão e depois segue-se a fase de análise e conslusões que deverão ser conhecidas ao fim das próximas três semanas.

A 17 de maio, depois do jogo que deu o título de campeão nacional de futebol ao Benfica, dois homens, pai e filho, acompanhados de duas crianças, foram agredidos pelo agente da PSP junto ao Estádio D. Afonso Henriques, com a agressão a ser filmada por uma equipa do Correio da Manhã TV (CMTV).