agredido no domingo nas imediações do estádio de Guimarães



Expresso



"Já no exterior, uma senhora, percebendo que o meu filho estava mal, ofereceu uma garrafa de água, após o que aquele agente se dirigiu a mim a perguntar o que se passava, por que estava ali e porque saíra de lá de dentro. Quando estava a explicar-lhe o que se passava dentro do estádio, ele veio para cima de mim à bastonada. E o pânico foi geral. Vi-o a bater no meu pai, ficando os miúdos numa aflição geral", acrescentou.


"Não me posso acobardar perante tamanha injustiça", sublinhou José Magalhães, a quem apenas interessa "divulgar o que acontecer".




PSP revelou que lhe vai mover um processo