Atualizado às 11:48

Nove barras de portos do continente estão hoje fechadas à navegação e uma está condicionada devido à previsão de forte agitação marítima, de acordo com a informação disponível na página da Marinha Portuguesa na Internet.

Mau tempo: vento e chuva não dão descanso

A Marinha indica que as barras de Caminha, Vila Praia de Âncora, Esposende, Póvoa do Varzim, Vila do Conde, Douro, Aveiro, Figueira da Foz e São Martinho do Porto estão fechadas devido à forte agitação marítima.

De acordo com a Marinha portuguesa, a barra de Viana do Castelo está fechada apenas a embarcações de comprimento inferior a 30 metros.

Por causa do mau tempo, que já provocou estragos por todo o país, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou sob aviso amarelo os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Leiria, Lisboa, Coimbra, Setúbal, Beja e Faro.

O aviso amarelo para a costa portuguesa vai estar em vigor até às 21:00 de hoje, prevendo-se ondas de noroeste com 4 e 4,5 metros, passando a ondas de oeste.

Reguengo do Alviela isolado

A povoação de Reguengo do Alviela (Santarém) está isolada devido à subida das águas na bacia do Tejo e a estrada da Ribeira de Santarém e entre a Azinhaga e Golegã estão condicionadas, de acordo com a GNR.

De acordo com a mesma fonte, encontram-se algumas estradas no distrito de Santarém condicionadas, entre as quais a entre a Azinhaga e a Golegã, devido à chuva intensa e consequente subida das águas da bacia do Tejo.

A subida das águas tem origem no aumento da intensidade das descargas das barragens portuguesas e espanholas, que estão a atingir os níveis máximos de capacidade devido à chuva que tem caído nos últimos dias.

«A conjugação das descargas portuguesas e espanholas deve fazer-se sentir a meio da madrugada, cerca das 04:00, e o nível das águas deve subir mais um metro do que está atualmente», referiu fonte do CDOS contactada pela Lusa a meio da tarde de segunda-feira

As previsões meteorológicas apontam novamente para a ocorrência de precipitação no distrito de Santarém e, tendo em conta a pluviosidade que se faz sentir em Espanha, para as próximas 24 horas «é expectável um agravamento dos caudais dos afluentes».

O Plano Especial de Emergência para Cheias na Bacia do Tejo está em alerta Amarelo desde a madrugada de segunda-feira, podendo, se a situação se agravar, passar para o nível Laranja.

Rio Douro continua acima do cais da Régua

No distrito de Vila Real, o rio Douro continua acima do cais da Régua e inundou dois estabelecimentos comerciais, enquanto os transportes escolares circularam com normalidade, depois da queda de neve na segunda-feira.

Manuel Saraiva, da proteção civil municipal de Peso da Régua, disse à Lusa que o caudal do rio galgou o cais fluvial já na quinta-feira, subindo entretanto cerca de quatro metros.

O rio inundou os dois estabelecimentos comerciais ali localizados, uma loja de artesanato e um bar, onde chegou ao telhado.

Este foi mesmo, segundo o mesmo responsável o «ponto mais alto que atingiu o Douro» neste inverno.

No entanto, os equipamentos e bens destes dois estabelecimentos comerciais já foram retirados em dezembro, na primeira vez que o caudal do Douro subiu.

Estradas cortadas em Montemor-o-Velho

Várias estradas estão hoje cortadas e condicionadas no município de Montemor-o-Velho devido à intensa precipitação que se tem registado nas últimas horas, disse à agência Lusa o presidente da Câmara, Emílio Torrão.

Segundo o autarca, que se encontra no terreno a avaliar as situações, cerca das 10:30 estavam cortadas as estradas do Campo na Carapinheira, Formoselha e Ereira (estrada de Santa Olaia) e a estrada da Rasa, em Meãs.