O Ministério Público (MP) acusou dois militares da GNR de Terras de Bouro de um crime de sequestro, pela alegada “detenção ilegal” de dois cidadãos em celas daquele posto, divulgou este sábado a Procuradoria-Geral Distrital do Porto (PGDP).

Em nota publicada na sua página na Internet, a PGDP acrescenta que um dos arguidos está também acusado de um crime de peculato, “por usar os serviços da GNR para ferrar o seu próprio cavalo”.

Em relação ao crime de sequestro, a acusação refere que, no dia 7 de junho de 2013, os arguidos, no âmbito de diligências de investigação relacionadas com um furto, “encarceraram nas celas” dois cidadãos que tinham anuído a ali comparecer para prestar esclarecimentos”.

Segundo o MP, os cidadãos foram encarcerados “sem qualquer justificação”.

Ainda de acordo com a acusação, os cidadãos estiveram fechados em celas separadas durante quatro horas, um, e quatro horas e meia, o outro.