O homem de 60 anos que foi filmado a tentar afogar a mulher no rio, em Águeda, vai aguardar em prisão preventiva o desenrolar do processo, informou hoje fonte da Polícia Judiciária (PJ).

O detido foi presente esta quarta-feira a primeiro interrogatório judicial, no tribunal de Águeda, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação mais gravosa.

O sexagenário, que está indiciado pelo crime de homicídio na forma tentada, foi detido na passada terça-feira, nas imediações da habitação onde vivia com a vítima, de 63 anos, em Paredes, no concelho de Águeda.

Na altura, o coordenador da PJ de Aveiro, Rui Nunes, disse à Lusa que a detenção "não foi muito pacífica", adiantando que o suspeito resistiu aos inspetores.

Na sequência de uma busca domiciliária, foram apreendidas ao suspeito mais de cem munições para espingarda caçadeira e uma espingarda de pressão de ar.

Os factos ocorreram na tarde da passada sexta-feira, junto ao rio Águeda.

Em comunicado divulgado hoje, a PJ refere que o suspeito, agindo num quadro "reiterado de violência doméstica", tentou afogar a esposa "submergindo-a por força dos braços, ao mesmo tempo que a ia agredindo a murro".

Segundo a PJ, esta situação só não teve um desfecho fatal, pelo facto de uma testemunha que passava perto ter dado o alerta, o que levou a que a vítima fosse solta.

O crime ficou registado em vídeo capturado através de telemóvel de um homem que passeava junto à margem do rio Águeda e que foi atraído ao local pelos gritos da vítima.

O vídeo, que circula nas redes sociais, foi entregue à GNR de Águeda, que foi buscar a vítima à casa onde vive com o agressor, encaminhando-a para uma casa-abrigo enquanto o processo decorre.