O Ministério Público de Setúbal abriu um inquérito para averiguar as causas de um acidente de pré-afogamento de uma criança de quatro anos, no Parque Urbano de Albarquel. 

"O comando local da Polícia Marítima de Setúbal efetuará as diligências que lhe forem solicitadas, no sentido de auxiliar o Ministério Público", refere um comunicado da Autoridade Marítima Nacional.

Um grupo de Atividades de Tempos Livres (ATL) deslocou-se, na manhã de 21 de junho, ao Parque Urbano de Albarquel e, "cerca das 12:00, [os responsáveis] perderam o controlo de uma criança, que veio a ser encontrada dentro de água, em situação de pré-afogamento", acrescenta a nota.

"O espaço balnear do Parque Urbano de Albarquel é uma área não vigiada, estado a mesma devidamente identificada como tal", salienta a mesma fonte.

A criança foi transportada, por uma ambulância do INEM para o Hospital de São Bernardo, em Setúbal, e posteriormente transferida e internada no Hospital D. Estefânia, em Lisboa, "onde ainda se encontra em observação", revela a Autoridade Marítima.

O Ministério Público confirmou esta sexta-feira a abertura de "um inquérito para investigação dos factos ocorridos, na passada terça-feira, no Parque de Albarquel, em Setúbal".

"A ocorrência envolveu uma criança que, durante um passeio promovido por um infantário de Palmela, entrou no rio Sado, do qual acabaria por ser retirada inconsciente", adianta a Procuradoria da comarca de Setúbal.

O inquérito corre termos no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Setúbal, lê-se na página da internet do Ministério Público, de acordo com a Lusa.